As sugestões de leitura para o período do isolamento voluntário estão de volta. Perdeu as de ontem? Clique aqui e confira. Seguem as de hoje:

Anne de Green Gables (Lucy Maud Montgomery)

Best seller há mais de um século, narra a história da órfã Anne Shirley, adotada por engano por um casal de irmãos que desejava um rapaz para trabalhar na fazenda, prática comum nos vilarejos do Canadá do século XVIII. Escrito com base nas anotações da autora sobre sua própria infância, o livro narra o fim da infância e o desenvolvimento da adolescência da jovem, que tem a vida desenvolvida em mais seis livros, que acompanham sua trajetória, como mulher daquela sociedade, até seus 40 anos. O sucesso resultou em 14 filmes, duas animações, quatro séries, sendo uma recente exibida no Brasil pelo Netflix com o nome “Anne With An E”, e uma websérie.

As Gêmeas do Gelo (S. K. Tremayne)

Até que ponto você seria capaz de confundir suas filhas gêmeas? A protagonista deste livro vive um drama pessoal após perder uma de duas meninas em um acidente doméstico. Enquanto a mãe vive o luto, a sobrevivente insiste ser a irmã morta, alegando que no momento do ocorrido, elas brincavam uma fingir ser a outra, prática comum entre as garotinhas. Indícios diversos evidenciam que a menina fala a verdade, mas enquanto a mãe defende essa teoria, parentes, amigos e especialistas garantem que sua filha favorita realmente morreu e que a outra estaria tentando assumir a personalidade da irmã para ganhar atenção da mãe. Ao longo da trama, acontecimentos diversos produzem diversas versões da verdade, mas qual a real? Ou seriam todas frutos de um surto da protagonista, que ao tentar acreditar que uma menina está viva, automaticamente sentencia a outra à morte?

Brilhante (Kristine Barnett)

Jacob, o filho de Kristine, foi diagnosticado com autismo severo aos dois anos e sentenciado a uma vida totalmente dependente. Enquanto a família não percebia avanços com as terapias tradicionais, a mãe decidiu, por conta própria, mudar a metodologia aplicada: em vez de focar no que o menino não conseguia fazer, passou a destacar seus êxitos. O desenvolvimento surpreendeu a todos: suas primeiras palavras descreviam o formato elíptico das luas de Saturno; aos nove anos, deu início a uma teoria inédta em astrofísica; aos 12, passou a estudar física quântica em uma universidade. Ainda na infância, era capaz de calcular o número pi até a 200ª casa e logo resolveu um dos problemas da matemática considerados insolúveis. Atualmente, Jacob está com 21 anos, mas ao lomgo de sua trajetória, ele consegguiu até comprovar que uma das teorias de Albert Einstein estava errada. No livro, sua mãe narra parte de sua vida e alguns de seus feitos.

A Mala de Hana (Karen Levine)

Mais uma história real, “A Mala de Hana” é fruto da pesquisa de uma professora japonesaque tentava ensinar o Holocauso a seus alunos de uma maneira diferente: personificando as vítimas. Ao conseguir emprestado com um museu alguns objetos, levou-os à sala de aula para os estudantes, mas a mala onde os artigos estavam guardados foi o que mais chamou a atenção. Identificado apenas com o nome “Hana Brady”, o objeto gerou muitos questionamentos acerca da identidade da dona. O que deveria ser apenas uma atividade didática sensibilizou os estudantes de tal forma que a professora, em seu tempo livre, chegou a ir à Europa conversar pessoalmente com pessoas que teriam conhecido Hana. O livro, considerado infanto-juvenil pelo número pequeno de páginas, merece ser lido por todos os públicos que desejam não apenas conhecer Hana Brady como também valorizar o esforço da docente.

O Ateneu (Raul Pompéia)

Apontado como uma obra prima da literatura brasileira, “O Ateneu” mostra, de forma dolorosa, a passagem da infância para a adolescência, inspirado em experiências reais do próprio autor em um colégio interno. Pela primeira vez distante de casa, o jovem Sérgio logo se vê em um colégio moldado pelos padrões da elite daquela sociedade, vítima de humilhações diversas e envolvidos em conflitos variados que o levam a um amadurecimento notório ao longo das páginas.