Chegamos ao que seria a última parte das sugestões de leitura. Conforme explicado na primeira parte, diariamente a Editora Posto Seis passaria dicas de livros para serem lidos durante o isolamento voluntário, mas devido ao sucesso, a iniciativa foi ampliada: serão 10 dias, totalizando 50 títulos. Confira os de hoje abaixo e para ler os de ontem, clique aqui:

Perigo (Nora Roberts)

Trata-se de uma coletânea com três histórias da prestigiada escritora, conhecida mundialmente por seus best-sellers românticos. Em “Perigo”, entretanto, as histórias possuem certo grau de suspense, englobando também o público que busca algo além dos relacionamentos dos casais envolvidos. As três possuem algo em comum: elas narram a chegada inesperada de homens nas vidas das mulheres, sempre escondendo um segredo que pode mudar a relação deles para sempre

Krakatoa – O Dia Que O Mundo Explodiu (Simon Winchester)


Se, hoje, a pandemia do coronavírus está afetando o mundo todo, no passado outros fenômenos também causaram efeitos em todo o planeta. Em 1883, a erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, foi um desses acontecimentos. O estrondo é, até os dias atuais, apontado como o mais alto já produzido na Terra: ele foi registrado até nas Ilhas Maurício, na África. Um navio que estava próximo foi tragado e os corpos dos tripulantes apareceram no Zamzibar, também no continente africano. Imediatamente após a explosão, um tsunami produziu ondas de aproximadamente 100m e as ondulações chegaram ao Canal da Mancha, entre a Grã Bretanha e a França. A poeira e as cinzas circundaram a Terra, resultando em alterações visuais no nascer e no pôr do sol durante um ano e meio e diminuindo a temperatura global em 1ºC. Tudo isso poderia ser o roteiro de um filme de Hollywood, mas aconteceu de verdade e está narrado neste livro, produzido a partir dos estudos desenvolvidos ao longo dos anos.

Incidente em Antares (Érico Veríssimo)

Imagine uma greve onde nem os mortos podem ser enterrado. A partir dessa premissa, Veríssimo constroi outra trama repleta de realismo fantástico, onde os agora morto-vivos se revoltam contra essa situação e reinvidiam o direito de serem enterrados, garantindo que se isso não acontecer, eles assombrarão os moradores. Conforme o tempo passa, mais podres ficam os corpos, assim como os segredos da vida pública então guardados – tudo vem à tona com o ocorrido. O livro é repleto de críticas sociais, lançadas na história de uma maneira sarcástica capaz de cativar os leitores.

O Sonho de Rubina (Rubina Ali)

O filme “Quem Quer Ser Milionário?” foi um fenômeno em 2008. Vencedor de oito estatuetas do Oscar, ele ganhou um enorme destaque no mundo todo. Rubina Ali, a atriz mirim que desempenha importante papel no longa, aproveitou o sucesso para narrar sua versão dessa história. Como foi para uma criança nascida e criada em uma favela miserável na Índia, onde os banhos, quando tomados, aconteciam em valões de esgoto, e a alimentação, dividida com baratas, chegar ao universo luxuoso de Hollywood? Como foi voltar para casa após essa experiência? O livro narra, sob a ótica dela, a realidade de quem vive sob aquelas circunstancias, além de abordar questões pessoais de Rubina como a tentativa frustrada de seu pai vendê-la após o sucesso do filme e a relação com o diretor da produção, que lhe pagou os estudos e depositou valores para serem sacados quando a menina alcançasse a maioridade; e outras particularidades que fazem da história da garotinha uma lição de vida.

Annie (Thomas Meehan)

Indicado para quem busca histórias leves, o livro “Annie” foi inspirado no musical da Broadway homônimo. O espetáculo, por sua vez, derivou-se dos quadrinhos produzidos nos Estados Unidos em 1924. A adaptaçao, entretanto, se passa durante a crise de 1929, quando o país ainda sofre graves consequências econômicas. Nesse contexto, a órfã Annie é escolhida para passar o Natal na casa de um milionário. O que seria uma ação de marketing acaba mudando a vida do ricaço, contagiado pelas lições positivas ensinadas pela menina.