Conforme anunciado ontem, as sugestões de leitura seguirão acontecendo por mais alguns dias, completando 50 livros indicados. Confira a lista de hoje:

O Voo da Libélula (Michel Bussi)

Um bebe de três meses é a única sobrevivente de um acidente aéreo, em 1980. Encontrada fora da aeronave, as razões de sua sobrevivência são um mistério, mas logo outra questão se torna a principal incógnita: qual a identidade daquela menina? Havia dois bebes no voo e ambas as famílias reclamam o grau de parentesco em uma época que ainda não havia exame de DNA para decidir essa questão. O tempo passa e quando a agora moça completa 18 anos, o detetive contratado para descobrir a verdade envia a ela de presente um diário com toda sua pesquisa ao longo do tempo, mas, quando ele menos esperava, uma nova evidência desvenda todo o mistério. Antes que a verdade venha à tona, ele é assassinado. Em paralelo, a jovem desaparece. Cabe ao  irmão dela desvendar o que aconteceu com ambos, usando apenas o diário como fio condutor de sua procura.

Uma Longa Jornada Para Casa (Saroo Brierley)

Livro que deu origem ao filme “Lion”, vencedor de seis estatuetas do Oscar. Trata-se da história real do menino Saroo, que aos cinco anos, se perdeu na caótica Índia. Sem saber informar o nome de sua mãe ou onde vivia, foi encaminhado a um abrigo, onde foi adotado por um casal australiano. Em sua nova vida, recebeu carinho e acesso à educação, mas jamais esqueceu sua história. Já adulto, ele decidiu redescobrir seu passado, baseando-se em imagens do Google Maps para rastrear todos os trilhos de trem de seu país-natal e assim tentar refazer o caminho inverso, baseando-se em poucas lembranças daquela época.

Noite na Taverna (Álvares de Azevedo)

Um grupo de conhecidos reúne-se em uma taberna para passar o tédio bebendo e contando histórias. A partir daí, os contos descortinam-se da maneira sombria e macabra típica do autor, capaz de abordar temas pesados de maneira poética, trazendo leveza à leitura. Não espera sentir medo: essa não é a proposta de “Noite na Tavera”. Outros sentimentos, como estranheza e até repulsa, podem aparecer durante a leitura. Seriam aquelas histórias passagens reais das vidas daqueles homens ou frutos da bebedeira?

As Irmãs Romanov (Helen Rappaport)

A Revolução Russa é um tema bastante conhecido e muito é falado sobre a queda do czau Nicolau II, que foi assassinado naquela noite junto com sua famíia, sempre tratados como coadjuvantes daquela tragédia. Este livro dedica a relembrar as princesas Olga, Tatiana, Maria e Anastácia, também mortas em decorrência do momento político. Nele, a vida das quatro é narrada com base em cartas e diários, passando por períodos desde seus nascimentos até a chegada da temida revolução, que já era motivo de medo devido à situação do país desde antes do patriarca assumir. O livro evita discussões políticas, já que o mesmo pai que lhe contava histórias era aquele que sentenciava milhares de pessoas à morte, e foca apenas na biografia das irmãs, inocentes naquele cenário.

Cotoco (John Van der Ruit)

Indicado para quem busca leituras leves, narra a trajetória de um adolescente de 13 anos que tem suas visoes do mundo modificadas ao ingressar em um colégio interno da África do Sul. A história se passa em 1990, na iminência da libertação de Nelson Mandela, e em meio aos acontecimentos no país, o jovem descobre a adolescência, o amor, a amizade e até mesmo a tristeza,  além de rever seus conceitos sobre o certo e o errado em meio a discussões sobre o fim do apartheid e os atritos entre os partidos políticos, que ficam em segundo plano na história. Em meio a tudo isso, “Cotoco” promete arrancar risadas dos leitores.