Visando divertir o público que está respeitando o isolamento voluntário ou que está de quarentena, a Editora Posto Seis selecionou livros diversos para indicar como sugestões de leitura ao público. Durante essa semana inteira, diariamente será publicada uma série de indicações, englobando gêneros variados e atendendo todos os perfis de leitores, desde os que preferem opções leves, para se distrair, àqueles que buscam livros com conteúdo. Acesse www.postoseis.com.br e confira.

O Diário de Anne Frank/Diário de Uma Jovem (Anne Frank)

O best seller está sendo apontado nas redes sociais como uma lição de otimismo durante esse período. Enquanto muitos reclamam de ficar alguns dias em casa, com opções de lazer variadas, a adolescente passou mais de dois anos escondida, sem poder fazer barulho, sem notícias de seus amigos e ciente do que ocorria no exterior, mantendo a esperança e cultivando planos para seu futuro. A jovem foi capturada pelos nazistas e enviada ao campo de Bergen-Belsen já no fim da guerra e apesar de não ter resistido, suas palavras tornaram-se mundialmente conhecidas. Algumas edições antigas podem ser encontradas sob o título “Diário de Uma Jovem”, mas estas não trazem o texto completo.

Tempo Incerto (Mauro Franco)

O romance se passa no Rio de Janeiro de épocas diversas, já que o protagonista acha um portal de passagem pelo tempo. Em suas aventuras, ele conhece a Avenida Rio Branco de 1936, ainda com o Palácio Monroe; o Hotel Avenida; os shows de rock que aconteciam no Parque Lage na década de 1980; as tradicionais rodas de choro que animavam a cidade e muito mais, enquanto temas como alcoolismo e tráfico de órgãos ajudam a conduzir a narrativa, que ganhou, em 2019, a continuação “Tempo Incerto 2 – Não Faça Isso!”.

O Reverso da Medalha (Sidney Sheldon)

A trajetória do homem que vai à África do Sul tentar ganhar a vida com a extração de diamantes possui potencial, por si só, para prender os leitores, mas o desdobramento da narrativa, que se desenrola até a fase adulta das netas gêmeas daquele personagem, torna o livro ainda mais interessante. A protagonista de boa parte da história, Kate Blackwell, é uma daquelas personagens que o ou os leitores adoram ou amam odiar. Por que? Apenas lendo para saber. O sucesso do título é tão grande que após a morte de Sheldon, a escritora Tilly Bagshawe escreveu “A Senhora do Jogo”, com autorização da família do autor original, dando continuidade à trajetória daquela família.

As Crônicas de Nárnia (C.S. Lewis)

Originalmente dedicado ao público infanto-juvenil, agrada também muito adultos que buscam uma leitura leve, porém, repleta de reflexões e capaz de distrair a todos. São sete livros, no total, agrupados no Brasil em uma edição que reúne todos em 752 páginas. Muitos leitores associam a narrativa a passagens bíblicas, mas outras interpretações permitem encontrar, em meio ao texto, influências de contos nórdicos, árabes e até da mitologia grega.

Uma Noite Fatídica (Walter Lord)

O naufrágio do Titanic virou algo quase que mitológico no imaginário popular. O ocorrido sempre gera curiosidade e imaginando que a história atravessaria gerações, o jornalista Walter Lord, ainda na década de 1950, entrevistou sobreviventes e testemunhas da tragédia, produzindo o livro que é o relato mais verídico do que realmente aconteceu naquela noite. Esqueçam Jack e Rose: diversos detalhes que foram esquecidos com o passar dos anos ficaram registrados na coletânea, que recebeu novas impressões recentemente. Dentre os entrevistados, estão a tripulação do Californian, o navio de onde a tragédia era assistida a olho nu e que não participou do resgate; do Carpathia, que chegou horas depois e salvou os sobreviventes; os jornalistas que fizeram a cobertura do naufrágio na época e os próprios sobreviventes, que narram até os mínimos detalhes, como a aparição da aurora boreal naquela noite.