Com dramaturgia de André Felipe e direção de Diogo Liberano, o espetáculo “Mansa” investiga a origem da violência contra a mulher. A peça reúne as atrizes Amanda Mirásci e Nina Frosi, nos papéis de duas irmãs que, após anos de abusos sofridos do próprio pai, o matam e enterram seu corpo nos fundos de casa. “Mansa” fica em cartaz até o dia 28 de agosto, durante curta temporada no Teatro Poeirinha, em Botafogo, com sessões às terças e quartas-feiras, às 21h.

     Mais do que apresentar um assassinato, a peça chama a atenção para os inúmeros crimes cometidos contra as mulheres, que não recebem a devida punição, naturalizando a violência na sociedade contemporânea. Para evidenciar esse ponto, apenas os personagens masculinos têm voz em cena. Eles observam o drama das irmãs por diferentes ângulos, colocando em questão o processo de “amansamento” feminino. “Tínhamos o desejo de falar do confinamento e da instituição prisão modelando e domesticando o corpo da mulher”, conta o diretor Diogo Liberano.

     Ao longo do espetáculo, as atrizes Amanda Mirásci e Nina Frosi interpretam diversos personagens, desenterrando aos poucos uma história silenciada. A temporalidade da montagem é formada a partir de uma encenação fragmentada, e apresenta desde a infância das irmãs, passando pela adolescência, até o ato do crime e momentos posteriores a ele, como julgamento, prisão e futuro.

Mais informações sobre a peça podem ser acessadas através do site oficial www.mansateatro.com, ou das redes sociais Facebook (www.facebook.com/mansateatro) e Instagram (www.instagram.com/mansateatro).

Serviço:

Mansa”, de André Felipe, com direção de Diogo Liberano

Temporada: até 28 de agosto

Local: Teatro Poerinha – Rua São João Batista, 104 – Botafogo – Rio de Janeiro/RJ

Telefone: (21) 2537-8053

Dias e horários: terças e quartas, às 21h.

Ingressos: R$ 40 (inteira); R$ 20 (meia-entrada)

Duração: 1h

Lotação: 44 pessoas

Classificação etária: 16 anos.