Luiza Lunardi

    No dia 18 de agosto (domingo), acontece a segunda edição do torneio de futebol society “Mundialito de Rua”, comandada pelo projeto “Meninos de Rua”, uma iniciativa da Associação Beneficente AMAR. A competição reúne 100 meninos de oito comunidades da Zona Norte e Centro da cidade, todos com menos de 13 anos, que representarão oito seleções de futebol vencedoras de Copa do Mundo. O evento acontece no Campo 8 do Aterro do Flamengo, a partir das 8h, e é aberto ao público.

     Segundo o coordenador de comunicação da Associação Beneficente AMAR, Filipe Almeida, o objetivo da disputa é promover a integração entre as crianças e adolescentes participantes. “Os meninos que jogarão não são diretamente assistidos pela AMAR. Mesmo assim, eles participarão do ‘Mundialito’, porque a nossa intenção é justamente mostrar que o trabalho realizado é mais amplo do que aparenta”, comenta.

     A AMAR é uma organização não-governamental sem fins lucrativos, criada com o objetivo de auxiliar moradores em situação de rua. Atualmente, desenvolve suas atividades junto a crianças, adolescentes e jovens em situação de risco pessoal e vulnerabilidade social como, por exemplo, através da Casa Frei Carmelo Cox, em Vila Isabel, destinada ao acolhimento de menores. O projeto “Meninos de Rua”, que deu origem ao evento realizado no Aterro do Flamengo, é fruto de parceria da ONG com a Petrobras, através de patrocínio do programa Petrobras Socioambiental. A iniciativa “Meninos de Rua” desempenha três linhas de atuação: cursos profissionalizantes, cursos para educadores e abordagem aos jovens em situação de rua.

   Todos os participantes do “Mundialito de Rua” receberão uma medalha de participação, e os ganhadores do torneio serão premiados com medalhas de ouro, prata e bronze. Além disso, troféus serão dados para o artilheiro do campeonato e para o melhor goleiro. Para Filipe Almeida, é importante que o público vá para conhecer o projeto e apoiar os jogadores. “Será um marco na vida de muitos deles, que estarão no seu primeiro campeonato de futebol oficial. Queremos que as pessoas vão até lá e encarem as diferentes realidades existentes na cidade através de uma prática lúdica e divertida”, conclui.