Luiza Lunardi

    A partir do dia 7 de julho, o Centro Universitário Universus Veritas – Univeritas, promove o projeto Bike Sem Barreiras. A iniciativa gratuita, prevista para ser oferecida durante seis meses, busca a inclusão de pessoas com necessidades específicas ou mobilidade reduzida a partir do uso de bicicletas adaptadas. Três unidades estão disponíveis, dentre as quais uma HandBike (triciclo adaptado para ser pedalado com as mãos) e uma Bike Dupla (para ser pedalada por uma pessoa com deficiência visual acompanhada por um monitor). A cada domingo, os equipamentos serão disponibilizados das 9h às 12h, por ordem de chegada, no Posto 3 da Praia do Flamengo.

    O Bike Sem Barreiras faz parte do compromisso de responsabilidade social da Univeritas. Desenvolvido pelo Instituto Ser Educacional (organização mantenedora da Univeritas e do Instituto Ser Educacional), o projeto foi inaugurado em 2016 no Recife (PE) e já atendeu mais de 500 pessoas desde sua instauração. Atualmente, a organização está expandindo a atuação e sua nova aposta é no Rio de Janeiro.

     Segundo o presidente do grupo Ser Educacional, Jânyo Diniz, a expectativa é que a adesão ao Bike Sem Barreiras no Rio de Janeiro seja um sucesso. “Queremos despertar o prazer de participar de uma atividade de lazer em pessoas com baixa ou nenhuma mobilidade. É uma atividade simples para muitos, mas que era colocada como impossível para outros”, afirma.

     A diretora da Univeritas, Adriana Garcia, explica que todos os envolvidos no projeto são coordenadores e estudantes voluntários, inclusive os guias e monitores que atuam diretamente com os beneficiados. Para Adriana, a iniciativa é uma boa oportunidade para o público e também para os alunos. “A nossa missão é agregar educação ao exercício da cidadania. Deste modo, possibilitamos interações dos nossos estudantes com a população e promovemos uma prática social única e favorável. Isto é muito positivo, principalmente se observarmos que o público-alvo do projeto é constituído por pessoas com menos opções de lazer. Logo, ao mesmo tempo que o usuário vai desfrutar do Bike Sem Barreiras, o voluntário vai aprender que tem um papel na sociedade ao ser parte da alegria de alguém”, finaliza.