Fonte: Prefeitura do Rio
Adaptação: Paula Kotouc

(Foto: Wanderson Cruz / Prefeitura do Rio)

Em meio às 400 pessoas abrigadas no Rio Acolhedor, equipamento da Secretaria Municipal
de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH), localizado em Paciência, eventualmente são
descobertos talentos como o mineiro Jeferson dos Santos. No local há seis meses, o artista
improvisou um ateliê, onde pinta quadros com temas variados.

“Meu pai é letrista e isso vem no meu sangue. Sempre mexi com tintas, quadrinhos e tudo
ligado às artes”, conta. Ainda na adolescência, Jeferson fez um curso de desenho por
correspondência, mas nunca teve a oportunidade de trabalhar com isso. Hoje, ele tem o sonho de
expor suas obras e, quem sabe, também poder comercializar o produto da sua paixão. Abstrato, com
textura, marinas, pantanal, entre outros estilos compõem a seleção de quadros que Jeferson mostra
orgulhoso em seu ateliê, improvisado ali mesmo nas instalações do Rio Acolhedor.

Em meio à tintas, telas, tecidos, pincéis e muita criatividade, Jeferson passa parte de seus
dias. Quem vê um quadro pronto não imagina o quanto o artista precisa se dedicar. Jeferson chega a
levar cerca de uma semana para finalizar uma tela mais detalhada.

Oportunidade de transformação de vida

Após passar por problemas familiares, ele veio tentar uma nova oportunidade de vida no Rio
e acabou indo parar nas ruas. Foi quando a equipe de abordagem da SMASDH o acolheu. Ele diz que
recebeu tudo o que precisava com o atendimento da Prefeitura do Rio.

“Aqui é muito bom, eu tenho de tudo, espaço para trabalhar, faço minhas vendas, uso meu
benefício do Cartão Bolsa Família e compro tecido, tinta, verniz e outros materiais. O artista acredita
que é possível uma mudança de vida através de sua arte e que em breve muito mais pessoas irão
conhecer suas telas.