Depois de uma temporada de sucesso no Teatro Maison de France, no Centro, o espetáculo “Rugas” volta ao Teatro Glaucio Gill, em Copacabana. Sob comando do premiado diretor Amir Haddad, a peça fica em cartaz até o dia 04 de maio, sempre aos sábados, às 18h30. Em cena, as atrizes Vanja Freitas, veterana dos palcos e das telas, e Claudiana Cotrim, ganhadora do prêmio de melhor atriz no 18º Festival Nacional de Monólogos Ana Maria Rêgo, em 2011 (com o espetáculo solo “Medeia”), vivem uma série de personagens que mostram como a velhice pode ser criativa e poderosa.

As atrizes estudam o tema há três anos. A dupla realizou dezenas de entrevistas com pessoas de 40 a 80 anos, leu livros que falavam sobre o assunto e se debruçou sobre trabalhos acadêmicos e artísticos. O material chegou às mãos do dramaturgo Herton Gustavo Gratto, que escreveu a comédia dramática “Rugas” a partir da reflexão sobre essas questões. “Este é um assunto importante, tocante e delicado, mas também bastante perigoso. Não somos eternos. Por isso a vida, assim como o teatro, tem que ser vivida até o fim”, avalia o diretor Amir Haddad.

Aos 65 anos, Vanja Freitas começou a vivenciar uma série de situações que a fizeram refletir sobre essa fase da vida. Ao lado de Claudiana Cotrim, de 48 anos, passou a observar como as pessoas mais velhas atravessavam a rua e se relacionavam com a cidade. Eu espero que o público se divirta e reflita sobre essa fase. Queremos passar uma mensagem amorosa e incentivar as pessoas a olharem mais para os idosos”, conta Vanja. “Uma amiga de 89 anos me disse uma coisa interessante: ninguém se prepara para envelhecer. Mas qual é a outra opção além de envelhecer?”

A história do espetáculo gira em torno de uma cientista gerontóloga (que estuda o envelhecimento) e deseja fazer o tempo parar. Para isso, vai estudar no exterior e quase não tem mais contato com sua mãe. Até que um dia, durante uma palestra, recebe um telefonema da cuidadora dizendo que a mãe está muito doente e precisa ver a filha.

“A partir da relação delas, a gente propõe ao espectador que pense sobre algumas questões: ‘o que você vai ser quando envelhecer?’ ou ‘quando você se sentiu velho pela primeira vez?’ O público mais velho vai se identificar profundamente e os jovens vão ter a oportunidade de mudar seu pensamento a respeito do próprio futuro”, completa a atriz Claudiana Cotrim.

Serviço:

Temporada: 06 de abril a 04 de maio

Dias e horários: aos sábados, às 18h30m

Local: Teatro Glaucio Gill (Praça Cardeal Arcoverde, s/no. – Copacabana, tel: 2332-7904)

Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia).

Vendas online: www.ingressorapido.com.br

Lotação: 150 lugares

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: 14 anos.