O distanciamento social, provocado pela pandemia, tem proporcionado mais tempo de convivência entre pais e filhos. Porém, depois de tantos dias em casa, nem sempre é fácil manter as crianças distraídas e há quem diga que buscar opções de entretenimento para os pequenos tem sido cada vez mais desafiador. Pensando nisso, o Movimento Plástico Transforma, iniciativa que visa abordar o uso responsável do plástico, selecionou algumas dicas para transformar o material reciclável em brinquedos e jogos. “A ideia é criar uma oportunidade para que a família aborde o conceito de sustentabilidade com as crianças de forma criativa e divertida”, afirma Fernanda Maluf, uma das coordenadoras do Movimento Plástico Transforma.

Conheça algumas dicas:

Centopeia de tampinhas: Reserve várias tampinhas de garrafa coloridas e uma embalagem oval usada em chocolates (kinder ovo, por exemplo), que será a cabeça da sua centopeia. O adulto deve ser responsável por furar as tampinhas com o auxílio de um objeto pontudo aquecido. Na sequência, as crianças podem ajudar passando um fio de nylon pelas tampinhas, formando o “corpo” da centopeia. Dividir a embalagem oval em duas partes e colar uma delas na extremidade do corpo. Depois é só usar a criatividade para criar olhos e boca para a nova amiga.

Jogo de tabuleiro: As tampinhas também podem ser transformadas em peças para um jogo de tabuleiro. Para a base, use uma tampa de caixa de sapato de papelão cortada em forma de quadrado. Com uma fita colorida (ou caneta hidrográfica) cruze linhas retas até formar nove pequenos quadrados. Pronto, agora é só desafiar as crianças para um jogo da velha.

Cofrinho: Garrafas PET pequenas viram cofres nos formatos de simpáticos porquinhos que estimularão as crianças a poupar dinheiro desde pequenas. Cubra a garrafa com um EVA da cor de sua preferência. Mais uma vez, é necessário o auxílio de um adulto para colar o material com cola quente. Cubra a tampinha da garrafa também, pois será o “focinho” do porquinho e reserve pedaços do mesmo material para as “patas”. Depois, basta o adulto fazer um pequeno corte na parte superior do cofre, por onde entrarão as moedinhas.

Chocalho: Com garrafas PET e grãos (feijão, milho ou lentinha) é possível fazer um divertido instrumento de percussão, a maraca. Para isso, separe também um rolo de papel toalha (apenas a parte interna), ele servirá como haste para o instrumento. Preencha a garrafa com os grãos, encaixe o rolo no bocal da garrafa e use uma fita adesiva para fixar. Enfeite a maraca com lantejoulas e glitter.

Bilboquê: O tradicional brinquedo que desafia a coordenação motora é uma das opções mais simples de reaproveitamento de resíduo plástico. Basta o adulto cortar uma garrafa grande de refrigerante, para que ela fique com um formato aproximado de uma taça. Corte um pedaço de 30 centímetros de barbante, amarre uma ponta na tampinha e outra no bocal da garrafa. Agora é só chamar as crianças para jogar.

A importância do descarte correto

Quando a criança deixar de brincar, porque o objeto quebrou ou porque ela simplesmente enjoou, é hora de dar um destino correto ao brinquedo. Grande parte do material plástico é 100% reciclável, por isso é importante descartá-lo por meio da coleta seletiva. “O descarte é mais uma oportunidade para os pais conversarem com os filhos sobre a importância de dar o encaminhamento correto aos resíduos recicláveis, para que eles possam ser reciclados e estejam aptos a voltar para a cadeia produtiva”, diz Simone Carvalho, também coordenadora do Movimento Plástico Transforma.