Luisa Lins

A Páscoa é comemorada sempre aos domingos e em 2020, cai no dia 12 de abril. Este feriado tão popular um momento de união entre família, já que possui forte viés religioso ao relembrar a ressurreição de Jesus Cristo. Entretanto, essa celebração ganhou força na sociedade, tornando-se uma data festejada por todos, independente da crença.

Marcada por símbolos diversos, vários deles estão associados ao viés cristão. Os ovos de chocolate, por exemplo, derivam de uma tradição criada ainda na antiguidade, antes até do nascimento de Jesus. Povos antigos como os romanos e os persas acreditavam que o mundo teria surgido dentro da casca de um e por este motivo, eles eram presenteados a familiares e amigos, representando o renascimento da vida durante os festejos de chegada da primavera (no hemisfério norte). Na medida em que a religiosidade passou a reger a sociedade, o hábito pagão foi absorvido para a Páscoa, que acontece aproximadamente naquela mesma data.

A associação com o coelho também deriva dessa mesma comemoração de chegada da estação das flores. Ostara, a deusa que representava esse momento, simbolizava a fertilidade em culturas diversas (algumas delas se referiam a ela por outros nomes, como Eostre). O animal tornou-se um símbolo devido sua capacidade reprodutiva, o que condizia com o objetivo daquela festa. Ao ser transferida para a Páscoa, a metáfora passou a representar a esperança da vida.

Nos dias atuais, entretanto, outros hábitos foram incorporados. Muitas famílias promovem encontros festivos. Quando há crianças, a brincadeira de esconder ovos de chocolate (sempre levados pelo próprio Coelhinho da Páscoa) é bastante aguardada: todos querem participar e garantir suas guloseimas. As instituições de ensino, principalmente as religiosas, também ajudam a ensinar os símbolos para as novas gerações, mantendo, assim, a festa viva no imaginário popular.