Em comemoração do Dia Nacional da Mulher, celebrado em 30 de abril, a Editora Posto Seis distribuiu homenagens a mulheres em destaque em suas áreas de atuação. A Comenda Emília Amália, nomeada em tributo a uma das pioneiras na busca por direitos igualitários para o sexo feminino, foi entregue no auditório do Clube Monte Líbano, que ficou lotado de convidados.

No total, foram homenageadas 101 mulheres, selecionadas por Itamárcia Marçal devido suas trajetórias. São elas: Adalgisa Hyodo, Adryana Segundo, Alessandra Nogueira, Aline Vasconcelos, Alyne Felisberto, Amanda Faria, Ana Beatriz Nogueira, Ana Fátima Chavalier, Ana Paula Soeiro, Angelina da Conceição, Barbara Napolitano, Beatriz Coelho, Brenda Teixeira, Carminha Eça, Célia Regina Villas Boas, Célia Zanon, Charline Fonseca, Cida Moraes, Cláudia Martins, Claudinéia Lage, Cleia Gonçalves, Cristiane Oliveira, Cristiane Pimenta, Dayse Brasil, Dejanira Deise, Denise Marçal, Dil Mendonça, Divanilda Nunes, Elaine Gomes, Eleide Mello, Elis Pimenta, Evinha, Fátima Xavier, Gladys Matta, Glória Puppin, Graça Lemos, Gracia Barradas, Helena Monteiro, Iara Dantas, Ilka de Oliveira, Iolanda Brazão, Iolanda Preta, Iracema Polidoro, Isis Coelho, Isolda Amazonas, Jeanette Polmon, Joana Ferreira, Jurema Duarte, Jussara Calmon, Laurimeri de Oliveira, Lucia Tissi, Lucia Nazareth, Luciene de Oliveira, Lucy Silva, Lucy Regenold, Luma Elesbão, Luziane Calazans, Maildes de Ávila, Márcia Ferreira, Margarete Mendes, Margarida Pressburger, Maria Célia Vieira, Maria Copacabana, Maria Daiane de Abreu, Maria José Marques, Maria Rosilda Moreira, Mariana Marçal, Mariza Sorriso, Marly Gomes, Marta Mariano, Miramar Mangabeira, Moema Arraes, Nancy Cobo, Nea Mariozz, Neide Gatti, Neusa Costa, Norma Telles, Núbia Perdigão, Paola Polezel, Paula Adriana Farina, Raissa Silva, Renata Neris, Rogéria Gomes, Sabrina Machado, Sandra Ornellas, Sandra Maria de Lima, Sandra Nogueira, Sandy Montgomery, Sebastiana Pereira, Selma Albuquerque, Sheila Gomes, Solange Arcanjo, Tati Pontes, Therezinha Monte, Val Alfa, Valeria Fernandes, Vida Pinheiro, Virginia Ann, Wanda Cunha, Yone Karr e Zélia Cursino.

O prêmio foi batizado em homenagem a Emília Amália Pinto de Magalhães, que nasceu no começo do século XIX e casou-se com um português atendendo aos anseios de seu pai, que, nos moldes da sociedade da época, buscou um marido para sua filha que atendesse aos seus interesses econômicos. Devido ao temperamento brutal do cônjuge, enfrentou toda a sociedade ao largá-lo. Foi viver com amigos e levou a primogênita do casal, o que a tornou mal falada perante o povo. Deu a volta por cima ao se envolver com um viúvo, o vice-cônsul de Portugal Davi Gonçalves de Azevedo, com quem encontrou sua felicidade e construiu uma nova família. Dentre seus cinco filhos, estão o dramaturgo Arthur Azevedo e o romancista Aluísio de Azevedo, que desenvolveram seus talentos graças aos estímulos da mãe em brincadeiras domésticas.