Desde o princípio de fevereiro, o Escritório do Samba estendeu seus “trabalhos” a festas semanais no quiosque Xodozin. O grupo, formado por amigos que se encontram diariamente no Restaurante Villar, na Rua Paula Freitas, elevou à conversa de mesa de bar para outro patamar, usando a união para divulgar o gênero musical em Copacabana. A ideia é promover eventos semanais, sempre às sextas-feiras, das 18h às 23h.

     “Quem quer ouvir tem que ir a algum restaurante ou ao Leme. Nunca tem em quiosque”, aponta um dos representantes, Iberê Pinheiro. Junto com Jorge Jerônimo, Júlio Pio, Benedito Galdino, José Murilo e Murilo Frota, apontados como a base do conjunto, Iberê aponta que os participantes debatem temas diversos, como política e futebol, mas que o ritmo é o assunto favorito.

     As reuniões acontecem há cerca de seis anos, em dois turnos: das 11h às 14h ou 15h e à noite. A união atraiu curiosos, que foram conhecer os amigos, mas foi a parceria com a Banda do Lido que ampliou o objetivo dos integrantes. “O Jorge me chamou para ir no desfile e conheci o Serginho (Sérgio Luiz, presidente da agremiação). Ele frequenta a União da Ilha e essa é a minha escola de samba. Surgiu o convite para ser diretor da Banda do Lido, mas não quis largar o Escritório”, comenta Pinheiro.

     No evento de estreia, o grupo recebeu o intérprete Nego Martins (que canta na Banda do Lido) e convidados como Samba de Fé, Selma do Cacique, Lu Fogazza, Danielle Jorge e outras personalidades do meio do samba. É previsto ainda a realização de uma feijoada mensal, que serão divulgadas também nos hotéis próximos, permitindo que os turistas conheçam, de uma vez, três ícones cariocas: o prato, o samba e Copacabana. “As passistas e os convidados vão ajudar a difundir a cultura”, finaliza.