Convidado para um bate-papo com alunos técnicos de Turismo, o jornalista e turismólogo Mauro Franco levantou temas que afetam o mercado e a economia da cidade, como a segurança pública, o interesse quase exclusivo de pontos turísticos na Zona Sul e no Centro e a consequente falta de exploração de outros bairros com potencial. A conversa teve como foco sugerir ações de empreendedorismo nas zonas Oeste, Norte e Grande Rio.

Novas perspectivas para o turismo no Rio de Janeiro foram o assunto central. Segundo Mauro é possível criar diversos pontos turísticos fora do eixo tradicional que podem atrair um grande volume de visitantes. “O estado do Rio de Janeiro como um todo tem vários pontos com potenciais incríveis, o que além de ampliar o local de atuação do profissional, cria atrativos onde não existem. Por exemplo, e se comentássemos há 5 anos que a Gamboa teria atrativos como o AquaRio e a futura roda-gigante Estrela do Rio?” – disse.

A importância da segurança pública foi frisada como fator primordial para o sucesso de uma localidade.O turista que vem com a família escolhe visitar um local, primeiro, pela segurança, e não por nenhuma outra coisa que digam. A pior coisa é a sensação de insegurança.” Ações de policiamento como o Centro Presente foram apontadas como grandes incentivadores de iniciativas para a melhoria da exploração turística.

Ao final do encontro, a conclusão geral foi que o espaço público deve ser ocupado, explorado e fiscalizado para que iniciativas empreendedoras e culturais possam acontecer com segurança e sucesso. O Rio é muito rico por causa de nossa história, já que o Brasil começou aqui. Temos que conscientizar as pessoas que pode-se criar alternativas para enaltecer cada beleza de seu bairro. “Para superar a crise e fortalecer o estado e a cidade, as secretarias e empresas públicas precisam se interligar para conversar com empresas sobre os problemas da área” – finalizou.