O jornalista Mauro Franco foi convidado para ministrar uma palestra sobre a área de Comunicação Social a 18 alunos do 9º ano da Escola Municipal Soares Pereira. O convite surgiu como parte do programa “Multiplicando Escolhas”, promovido pela ONG Argilando que tem a proposta de orientar e inspirar jovens em suas trajetórias pessoais e profissionais na fase de desenvolvimento de suas identidades.

Franco iniciou o encontro apresentando o Jornal Posto Seis e explicando o conceito de jornalismo comunitário: “As pessoas às vezes não dão importância por ser gratuito, mas dentro de cada um tem informações da vida de vocês. Os jornais diários não têm muito espaço para colocar os problemas dos lugares onde cada um de nós vivemos”, apontou.

Após a introdução, falou sobre as novas mídias digitais, o que despertou o interesse nos estudantes. “Atualmente, muitos jovens são youtuber. Alguém tem noção de como cada um chegou lá? Alguém descobriu por que alguns faturam tanto por mês? Sem sombra de dúvida, trabalhando e estudando muito. Eles descobriram através da Comunicação que repetindo sequências de movimentos, de gestos e de olhares e dando ênfase aos fatos cotidianos, eles chamam a atenção. Quando eles falam, gera interesse entre muitas pessoas. É enorme o número de seguidores que têm curiosidade em saber o que eles estão fazendo, mesmo que não seja nada”, apontou, antes de continuar a conversa explicando o papel da publicidade nesses canais:

“As empresas começaram a entender que esses jovens de agora não estão inseridos na comunicação impressa. A cabecinha de vocês tem uma criatividade maravilhosa. Uma mídia em papel tem 28, 32, talvez 40 folhas. No digital, não existe esse limite. As empresas perceberam que se alguém tem 300 mil seguidores e está falando com público bem jovem que sai à noite, que usa blusa X e tênis Y. Logo, passam a querer investir nessas pessoas através de ideias como ‘Quero que ele use minha roupa e tenha meu tênis porque as outras ficarão empolgadas e também vão querer’. Com a publicidade, você pode ser a pessoa que as empresas querem”.

Em seguida, Franco falou sobre a necessidade de usar a criatividade para buscar maneiras de entrar no mercado de trabalho. “Muitas coisas que usamos foram feitas por pessoas que pensam. Quando alguém é preguiçoso e não gosta de ler, cai na teia das fake news. Quando não pensa, cai na teia de quem pensa. O Steve Jobs quis fazer um produto (smartphone) que todo mundo precisasse, que não o tirasse das mãos. Riram dele quando ele propôs isso na Apple. Diziam ser impossível. Ele apenas levou o conteúdo de um computador a um celular”, apontou, percebendo que alguns dos alunos não resistiam e olhavam seus aparelhos em diversos momentos durante a palestra.

Depois, continuou: “Hoje, todos são capazes de ficarem famosos com os seus. As fotos e os vídeos podem virar apresentações. Posso colocar o material feito a disposição de terceiros e cobrar por isso. Com celular, vocês podem filmar esse evento que está acontecendo na escola de vocês (o programa ‘Multiplicando Escolhas’ levou profissionais diversos a turmas variadas) e falar sobre isso no Youtube. Quem não gostaria de ser uma pessoa conhecida, numa profissão bem remunerada?

O que vim mostrar é que é possível! Quando fundei o Jornal Posto Seis, parecia uma missão impossível. Hoje, já formei inúmeros jornalistas porque quando a pessoa esta para se formar, precisa fazer estágio. Tenho diversos funcionários cujas famílias dependem do trabalho que criei. Olhem quantas coisas boas fiz pela sociedade porque tive uma ideia… Sempre estudei em escola pública, como vocês estão agora. Todos podemos fazer algo!”. Por fim, Franco entregou para cada um, como presente, um exemplar do livro Rio Turístico, lançado pela Editora Posto Seis.