Luisa Lins

     O livro “Promoção da Saúde e Grupos Socialmente Vulneráveis: Idosos e Pessoas com Deficiência” foi lançado na tarde do dia 30 de janeiro, com o intuito de abordar questões relacionadas à qualidade de vida, ao respeito às diferenças entre as pessoas que compõe a sociedade e à falta de acessibilidade dos grupos específicos mencionados no título. O evento aconteceu na Praça Serzedelo Correia, em Copacabana, atraindo um grande público que prestigiou o evento.

     Os co-autores José Maria Arruda, Vera Lúcia Lima, Nora Ribeiro Campos e Maria Auxiliadora Barroso decidiram compor o livro em cinco capítulos, com artigos já existentes sobre diversos temas. Dentre eles, estão: “Panorama da Promoção da Saúde no Brasil: Avanços, Desafios e Limites”, “Promoção da Saúde, Justiça e Acessibilidade” e “Acessibilidade, Mobilidade Urbana e Equidade” e outros.

     Segundo Arruda, esse material é necessário não só para os grupos socialmente vulneráveis como também para os jovens. “Ele reúne textos que abordam assuntos que nos afetam diretamente. Eu sou cadeirante e sofro muito com isso. No dia do lançamento estava esperando meu acompanhante e a minha cadeira não subia na rampa da praça, que era íngreme demais, e tive que ficar esperando. É necessário fazer com que, principalmente, o público não afetado diretamente tenha consciência do que nós passamos”, afirma.

     De acordo com Nora, o livro é produzido de maneira voluntária, por alguns participantes do grupo GAS (Grupo de Amizade Saudável) e a ideia surgiu de uma necessidade de falar sobre os temas abordados. “Nós decidimos coletar esse material disponível na internet porque o acesso ao impresso é muito importante para os idosos, que muitas vezes, preferem folhear o papel. Mesmo que os artigos não sejam inéditos, eles são reunidos no nosso livro para reforçar o debate, pois ainda ocorrem diversas situações em que somos afetados diretamente. O grupo GAS promove outros encontros nesta mesma praça, para mostrar à sociedade que nós estamos aqui e que podemos nos divertir como qualquer outra pessoa”, finaliza.