O elevador é um meio de transporte imprescindível nas cidades brasileiras. Em dias úteis, apenas na cidade de São Paulo, os cerca de 90 mil elevadores instalados transportam mais de 25 milhões de pessoas — um número oito vezes maior que o de passageiros transportados pelos ônibus, por exemplo.

Em tempos de coronavírus, esses equipamentos precisam ser ainda mais higienizados para preservar a saúde dos usuários. Nos elevadores da capital podem circular mais de duas vezes a população de Portugal (10,3 milhões) num só dia. Em todo  Brasil todo são cerca de 400 mil elevadores.  Estima-se que  São Paulo e Rio de Janeiro juntos centralizam 50% dos equipamentos do país.

Atenta a grave ameaça à de saúde pública, a Associação Brasileira das Empresas de Elevadores (ABBEL) lança uma cartilha com orientações e dicas de cuidados básicos nos elevadores para reduzir a disseminação do novo coronavírus no país.

O objetivo é alertar usuários, síndicos, empresas de manutenção de elevadores e trabalhadores do setor: todos podem se expor a riscos de saúde, se não adotarem medidas preventivas. “Sem saber que você saiba, alguém contaminado com o Coronavirus (COVID-19) pode ter utilizado o elevador antes de você”, alerta a cartilha. “Alguém pode ter espirrado dentro da cabina e/ou tocado o mesmo botão que você irá apertar”.

Recomendações para o uso do elevador em edifícios residenciais ou comerciais:

  • Evite usar o elevador quando estiver cheio, espere sempre a próxima viagem.
  • Caso precise descer apenas dois andares ou subir um único pavimento, opte pelas escadas. Evite o elevador.
  • Acione o botão de chamada do elevador com o auxílio de um lenço de papel descartável. Adote o mesmo procedimento no botão interno da cabina para acionar o seu pavimento.
  • Adote o mesmo procedimento do uso de um lenço de papel descartável nas portas de pavimento do tipo Eixo Vertical. Ou seja, aquelas que necessitam serem puxadas com a mão para entrar e empurrá-las para sair da cabina.
  • Ao viajar no elevador evite encostar nas paredes da cabina.
  • O condomínio deve efetuar a higienização do interior da cabina, se possível, no intercalo de duas horas, dependendo do fluxo de pessoas que circulam pelo elevador.
  • É preciso cuidado para não aplicar produtos de limpeza diretamente sobre as peças como botões, visores, indicadores de posição, subteto etc. Isso pode atacar as peças como acrílicos e plásticos.
  • Umedeça um tecido especial para limpeza no produto e passe suavemente sobre as partes do elevador.
  • Nunca utilize produtos abrasivos e esponjas de aço para não riscar os componentes. A mesma recomendação acima vale para os botões e puxadores de porta que ficam no pavimento.

Clique no link para obter a cartilha: http://www.emumclick.com/images/news/ABEELCORONAVIRUSCARTILHA.pdf